Governo anuncia nessa quinta feira que retoma minha casa minha vida! Programa minha casa minha vida não acabou, vai continuar, clique e confira!

Conseguir o próprio imovel é o sonho de muitos brasileiros e brasileiras. E essa semana uma boa notícia surgiu no horizonte em meio a crise. Ao que parece o governo temer irá retomar esse programa tão importante para todos. Mas para quem não conhece, vamos primeiro mostrar do que se trata.

O que é o Minha casa Minha vida

minha casa minha vida

O Minha Casa Minha Vida programa governamental que possui objetivo de melhorar a qualidade de vida do povo brasileiro. O programa Minha Casa em 2016 completa sete anos desde que foi criado e até hoje entregou mais de 1 milhão de moradias em todo o Brasil. Aproveite e conheça o programa CMV que oferece benefícios e oportunidades exclusivas para aqueles que procuram ter sua casa própria.

Governo Temer retoma minha casa minha vida

O governo Michel Temer anuncia nesta quinta-feira as regras para o primeiro lote de contratações do Minha Casa Minha Vida da gestão peemedebista. A meta é contratar a construção de 40.000 novas moradias ainda em 2016, que foi promessa de campanha à reeleição da presidente cassada Dilma Rousseff, ainda em 2014. Mas as obras nunca saíram do papel.


A ideia do governo é que o início das contratações ainda este ano contribua para aquecer o setor da construção civil e impulsionar a economia, principalmente com geração de novos empregos. Além disso, o Governo Federal vai retomar as obras de 10.609 mil unidades do Minha Casa, Minha Vida (MCMV) que estavam paralisadas, além da contratação de 40 mil unidades habitacionais na faixa 1,5. Para 2017, estão previstas a contratação de cerca de 600 mil unidades nas faixas 2 e 3 para todo o Brasil, o que pode beneficiar o Ceará, que não tem obras paradas a serem retomadas.

Governo Temer retoma Minha casa minha vida

A ideia no governo Dilma era atender famílias que tinham renda superior aos limites da faixa 1 (onde as moradias são totalmente subsidiada pelo Tesouro), mas não tinham orçamento suficiente para se habilitar à faixa 2 (onde o subsídio é menor).

 Em março deste ano, em meio ao acirramento do processo de impeachment, Dilma chegou a anunciar a novidade em evento no Palácio do Planalto, mas sua equipe não conseguiu tornar viável essa parte do programa.

Os imóveis que serão oferecidos no programa terão valor máximo de R$ 135 mil nas regiões metropolitanas de São Paulo e Rio e no Distrito Federal. Até um terço do valor (R$ 45 mil) pode ser integralmente subsidiado pelo FGTS (90%) e Tesouro (10%), dependendo da faixa de renda (quanto maior a renda, menor o subsídio integral). Os R$ 90 mil restantes, nesse caso, são financiados pela Caixa a longo prazo, com juros, também subsidiados, de 5% ao ano. Nas outras regiões do País, os valores dos imóveis e dos subsídios têm algumas variações.

Para a faixa 1,5 do MCMV serão destinados R$ 3,8 bilhões. Desse valor, R$ 1,4 bilhão será para pagar os descontos no valor dos imóveis, sendo R$ 1,26 bilhão bancado pelo FGTS e R$ 140 milhões pelo Tesouro. Os outros R$ 2,4 bilhões sairão também do FGTS por meio de financiamentos com juro subsidiado. O subsídio da faixa 1,5 é maior do que o dado na faixa 2 (famílias com renda de até R$ 3,6 mil). A seleção dos beneficiários não será feita pelas prefeituras – como na faixa 1 – mas pelos bancos (Caixa e BB) e pelas próprias construtoras, que analisarão o enquadramento das famílias nos critérios.

Conclusão

Bom pessoal, espero que as noticias tenham sido úteis e que voce consiga seu imovel proprio nessa nova fase do programa!

Dúvidas e sugestões consulte as agencias da caixa economica!

Fonte: Revista Veja